Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

just say it - Guia prático para se fazer ouvir

este é um contributo para comunicar melhor e chegar a quem está do lado de lá, na audiência, seja uma cara ou duas ou imensas. para termos mais e melhores resultados. para comunicarmos e sermos recordados.

just say it - Guia prático para se fazer ouvir

este é um contributo para comunicar melhor e chegar a quem está do lado de lá, na audiência, seja uma cara ou duas ou imensas. para termos mais e melhores resultados. para comunicarmos e sermos recordados.

01 de Julho, 2020

sobre a necessidade de começar algo de novo, depois repetir, para ter evolução e consolidar.

claudia nogueira

em conversa com pessoas várias que procuram mais confiança algures - na autoridade, na liderança, na autonomia -, pensei em como descobrimos tão mais tarde na vida o poder que temos sobre estas aprendizagens! está nas nossas mão e, ainda assim, teimamos em empurrar com a barriga e a afastar os olhos. 

recordo com frequência as aprendizagens que foram momentos altos na nossa vida, mas que tendemos a menosprezar ou a retirar-lhes importância, como aprender a andar de bicicleta ou a conduzir, para não falar de aprendermos a andar, com a confiança e mais ou menos graciosidade, vida fora. o que têm em comum estas aprendizagens? o facto de não nos termos ficado pelas primeiras quedas, nem pelos arranhões, ou pela miríade de temas sob nosso controlo dentro do carro e fora dele. o que fizemos nós com as contrariedades? levantamo-nos de novo, procuramos equílibrios, assumimos temas.

fomos, tão simplesmente!

por que razão não voltamos a repetir esta fórmula simples, ao longo da vida? 

'não tenho ainda a experiência que é necessária para ser líder', ou 'não me sinto muito bem a exercer autoridade', dizem-me com frequência. ou, a minha favorita, 'não nasci para comunicar'.

quanta experiência será necessária para se ser alguma coisa? quem define? quem contabiliza? 

a resposta é óbvia: é cada um de nós que estabelece a sua própria contabilidade de tempo e de experiência. por isso, porque não começar a tentar, a experimentar, a pôr em prática o que queiramos desenvolver?

dessa forma estaremos a dar os nossos primeiros passos, ainda a deitar a mão ao que nos falte de equilíbrio. estaremos a ganhar consciência do que nos rodeia e à forma como nos fortalece ou deita abaixo. para aprendermos a contornar, a reforçar o que nos faltar. 

a boa notícia é que esta aprendizagem é válida para qualquer aspecto, qualquer elemento que queiramos fazer evoluir. que nunca nos fiquemos pelo 'não nasci para' qualquer coisa. teremos nascido para o que quisermos experimentra, para o que quisermos por em prática.

é da repetição que nasce a evolução e é daí que aprendemos a consolidar, a ganhar a confiança que nos fazia falta. não menos importante, é desta confiança que resulta a aparente naturalidade que experimentamos quando já não pensamos tanto assim no que estamos a fazer. 

recomeçar.jpg

 

Be Great!

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.