Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

just say it

este é um contributo para chegarmos a quem está do lado de lá, porque importa sermos mais activos e disponíveis para o que está em nosso redor. a surpreender na forma como o fazemos. a termos mais e melhores resultados.

just say it

este é um contributo para chegarmos a quem está do lado de lá, porque importa sermos mais activos e disponíveis para o que está em nosso redor. a surpreender na forma como o fazemos. a termos mais e melhores resultados.

o que têm os bons comunicadores?

sobre-atitude.jpg

Richard Branson

http://bit.ly/Branson_Profile

 

Dos bons comunicadores tudo se diz. Que são carismáticos, assertivos, fluídos. Que conseguem chegar a toda a gente. Que conseguem ‘traduzir’ as coisas mais inacreditáveis para uma linguagem comum. 

Mas será que sempre o foram assim? Nasceram assim? Para mim, até é possível que tenham uma maior abertura à comunicação, sim.

No entanto, há mais...

Acredito que se esforçaram para obterem os resultados que têm. 

O que me leva a pensar sempre que, em algum momento das suas vidas (das nossas vidas, no nosso caso, que queremos ser melhores comunicadores) terão sentido necessidade de melhorar a forma como se apresentavam e funcionavam com os outros.

O primeiro passo para comunicar: tomar consciência de que se pode trabalhar para Mais.

É um dos elementos comuns aos comunicadores que nos parecem extraordinários.

Os comunicadores que nos marcam ou marcaram têmem comum a vontade de querer avançar! 

Os bons comunicadores sabem aliar todos estes elementos. Querem evoluir no seu papel de comunicadores e preparam-se para isso.

Os bons comunicadores têm um objectivo muito claro definido a priori que inspira ou motiva ou esclarece a audiência que têm pela frente. Conseguem estabelecer uma ligação próxima com quem os ouve e/ou vê, evidente na sua atitude e na linguagem de fácil acesso. Que todos conseguem compreender.

Em algum momento da sua vida, os bons comunicadores de hoje perceberam que podiam conquistar o seu próprio caminho ou o seu lugar nestes domínios da comunicação. Quiseram ou aceitaram um papel mais interventivo, uma maior exposição. Perceberam que mais do que serem ouvidos queriam ser recordados.

E para que as suas prestações se tornassem memórias, recordações, teriam de olhar para a sua audiência. Por isso hoje é-lhes fácil olhar para a audiência e colocarem-se nos seus pés!

É com este trabalho que passamos da fase consciente de trabalho – sabemos que nos falta algo para sermos bons comunicadores e trabalhamos sobre esse algo de forma consciente, para evoluirmos, para ganharmos experiência. Quando este trabalho entra em nós, deixa de ser um esforço, deixa de ser ‘pesado’. Passa a inconsciente – fazemo-lo de forma natural, fluída. É quando damos um passo muito significativo para nos tornarmos comunicadores de excelência. Para quem comunicar é natural.

 

in Just Say It - Guia prático para se fazer ouvir

Be Great!

www.plus.com.pt

2 comentários

Comentar post