Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

just say it

este é um contributo para chegarmos a quem está do lado de lá, porque importa sermos mais activos e disponíveis para o que está em nosso redor. a surpreender na forma como o fazemos. a termos mais e melhores resultados.

just say it

este é um contributo para chegarmos a quem está do lado de lá, porque importa sermos mais activos e disponíveis para o que está em nosso redor. a surpreender na forma como o fazemos. a termos mais e melhores resultados.

sobre os inícios #2

sobre-a-oportunidade.jpg

recomeçar, ter vontade de arriscar, ir mais além, descobrir o novo, deveria estar sempre presente em nós. deveria partir de cada um de nós a vontade de abrir a porta ao inesperado. mais vezes. e, se possível, encontrar portas maiores para o receber. 

Be Great!

 

a chegar ao fim de Janeiro

etapas.jpg

depois das wish lists de final do ano, dos planos para o novo ano; depois do eventual desalento por vermos (mais uma vez) que só mudou o ano, que os nossos planos correm sérios riscos de ficar na gaveta; não percamos de vista que a se queremos que algo mude, então comecemos por mudar alguma coisa. 

já vai a caminho?

Be Great!

é possível sermos mais claros? claro! praticando.

há pessoas que falam depressa demais. rápido. tão rápido que comem sílabas. fazem 'alcavalas' com palavras, umas palavras atropelam as outras.

e porquê?

há entusiastas que colam sílabas e palavras. a audiência olha os entusiastas, de sobrolho franzido, como quem pergunta: 'O quê? O que é que acabou de dizer?'. não percebe e... desiste de ouvir.

há os apressados que só querem despachar o 'frete' e sair dali para fora o mais rápido que conseguirem. colam ideias, em género de comboio de mercadorias (bem que pode ir repleto, mas tudo parece indiferenciado). não ficam para a memória colectiva daquele dia.

outros há que deixam evidente um cérebro que pensa rápido. ou que pensa em demasiados temas ao mesmo tempo que falam, em que a voz perde o ânimo quando o cérebro se impacienta e já seguiu por outros caminhos. ou a voz cai, quando já não consegue respirar de uma ideia que se alongou ou multiplicou por tantas outras. os ombros curvam-se perante tantas ideias e a voz acompanha uma intenção que mais não é do que 'pensar em voz alta'. à nossa frente estarão pessoas que se perdeeram algures, na míriade de ideias. acabou por ser demais. 

em nenhum dos casos as pessoas em frente vão compreender o entusiasmo, a capacidade ou a ansiedade por detrás do enorme frete. e vão estar atentas à gaguez, às palavras mal ditas, aos ruídos que vão sobressair. 

que fazer então?

perceber porque ali estou. com quem pela frente e a quem quero despertar uma acção, uma emoção. então crio um guião. uma corrente de ideias - que em conjunto perfazem uma 'estória'. texto as ideias, junto-lhes palavras, exemplos, altos e baixos. e faço-o em voz alta. uma, dua, três vezes, tantas quantas conseguir. the more the merrier. 

vai sentir-se assim para o meio idiota, a fazer figuras. troque esses pensamentos por imaginar que está de facto no momento e que tem aquelas pessoas na sua frente. dificilmente vai sentir-se natural neste papel. sem problema. está a ficar mais fluído e com isso a parecer mais natural. 

fake it until you become it!

Be, Great!

www.plus.com.pt

practice.jpg