Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

just say it

este é um contributo para chegarmos a quem está do lado de lá, porque importa sermos mais activos e disponíveis para o que está em nosso redor. a surpreender na forma como o fazemos. a termos mais e melhores resultados.

just say it

este é um contributo para chegarmos a quem está do lado de lá, porque importa sermos mais activos e disponíveis para o que está em nosso redor. a surpreender na forma como o fazemos. a termos mais e melhores resultados.

ser feliz custa tão pouco #2

encolher.jpg

fazer algo em 'sofrimento' faz mal. custa. demora mais do que pode parecer razoável ou aceitável. e tira perspectiva ao maior. ao que está acima. acima do óbvio, do imediato, do mediano, do desinteressante.

encontrar algo que nos acrescenta faz os dias correrem céleres. faz-nos ganhar destreza. e um sorriso de orelha a orelha. tão melhor:)

 

Be, Great!

www.plus.com.pt

 

sobre a imagem pessoal #6

boas-vistas.jpg

 

há uns anos, num workshop sobre imagem, dizia a modelo que conduzia a sessão que nos dias 'neura' não vale a pena irmos às compras. se fizermos mesmo questão, então que compremos um elástico para o cabelo (as senhoras), um par de meias (os senhores, se se sentirem imbuídos do mesmo espírito consumista).

hoje pensei nas escolhas, tão mais difíceis, sobre o que vestir, o que calçar, nos dias difícieis. naqueles dias em que nada, nada mesmo parece estar a funcionar.

podemos ter e seguir uma estratégia nestas alturas?

devíamos ter uma estratégia sim. bem escrita e descrita, colada algures num sítio bem visível, para não a perdermos de vista. 

e que estratégia poderia ser esta? ocorreram-me três possibilidades:

1. a estratégia segura - ter um kit 'seguro', daqueles que quase nos torna transparentes, pois dessa forma seremos quase, quase invisíveis, já que quase ninguém dá por nós. estaremos como que camuflados.

2. a estratégia para contrariar o mood do dia - ter um outro kit composto por peças que nos fazem sentir precisamente o oposto: dão-nos confiança, dão-nos uma 'força' maior que deita por terra (ou quase) a neura com que acordamos. será quase que o amuleto para a boa disposição.

3. a estratégia arrojada - e que tal criar o kit, combinando peças de uma forma que não nos é óbvia ou comum nos outros dias? substituimos o mood neura pelo desconhecido que nos desconcerta. é um enfrentar a neura com alegria. com a incerteza. e receber algo em troca, que não sabemos bem o quê à partida. uma surpresa, portanto. porque não?

 

Be, Great!

www.plus.com.pt

 

 

slow down, please!

dizia-me um cliente há tempo que, nos dias que correm, os clientes querem ser impressionados. todo o tempo. claro está que esta pressão para impressionar trazia todo um stress ao dia-a-dia: as respostas tinham de ser já. super inteligentes. para lá de inovadoras. de tirar a respiração.

adivinhem quem fica sem respiração? e o que acontece quando deixamos de respirar?

o que fazer com esta pressão?

1. ouvir. activamente. prestar atenção ao outro. ao invés de carregarmos de imediato no 'start' da nossa cabeça que sai desesperada à procura de caminhos e respostas.

2. prolongar a conversa. querer saber mais. genuinamente. excluir dúvidas. deixar de parte temas, questões que não fazem sentido quando se conversa mais sobre elas. 

3. valorizar os nossos conselhos. o nosso trabalho. o nosso pensamento. responder prontamente a um desafio dificilmente trará mais brilho, mais inovação, ou mais qualquer coisa.

aceitar estes 3 passos dá-nos mais sabedoria? não.

mas

ansiedade.jpg

 

traz mais impacto para o que fazemos e propomos. criar laços com o outro lado faz parte das regras da reciprocidade da comunicação. reforçar esses laços aproxima-nos. cria mais conhecimento também. pensar no que propomos indicia cuidado e atenção da nossa parte. cria maior valor.

de que estamos então à espera?

 

Be, Great!

www.plus.com.pt 

blog just say it TAKE 2

pormaiores.jpg

 

o regresso de férias, o pensar na vida, os balanços que me fazem falta, fizeram-me pensar no que podia acrescentar tambem aqui, no blog. 

claro que há partilhas. aprendizagens - minhas ou dos meus clientes - que me trazem aqui. com maior ou menor frequência, mas trazem-me aqui.

este é o facto nº1. e foi o ponto de partida que tomei para mim. e para me decidir: quero manter o blog. mais: quero avançar com ele.

não quero é fazê-lo de uma forma óbvia. nunca me interessou o óbvio. este é o segundo facto: quero avançar. e de forma diferente. boas resoluções. 

posto isto: como vou fazer? ah pois, essa grande questão...

vou contar pequenas histórias. onde possa exemplificar situações em que a comunicação nos atrapalha. ou nós nos atrapalhamos a comunicar. histórias onde consiga apontar sugestões. caminhos possíveis. histórias onde vá para além dos conselhos sobre como comunicar melhor. 

e como se faz isso? indo além das palavras: mergulhando em temas colaterais que nos fazem sentir melhor (e a sermos mais fluídos nas nossas palavras). ou indo além da voz: por via de um olhar sob uma perspectiva diferente; um ângulo que expõe muito mais; ou pôr mais criatividade nos momentos e no que passamos. 

mais do que especialista, importa sabermos que dificuldades de expressão todos temos. dificuldades a ouvir os outros também.

o que serei então? uma voz, um contributo para chegarmos mais a quem está do lado de lá; a sermos mais activos e disponíveis para o que está em nosso redor. a sermos menos óbvios na forma como o fazemos. a termos mais e melhores resultados.

 

vamos a isso?

 

Be, Great!

www.plus.com.pt